(Re)nascer aos 30: Depois de um pé na bunda, Cacau Ribeiro olhou para o retrovisor e viu que o caminho que havia traçado não a levaria ao "arco-íris". Muitos carimbos no passaporte e (re)descobertas depois, ela renasceu. Clique aqui e acompanhe do começo.

Uma carta para quem serei amanhã

04.05.2019

Quem será você?

 


Como será o seu dia? 


Quais serão aquelas pequenas coisas que perturbarão você por parecerem enormes?


Quais serão seus reais problemas? 


Aqueles tão grandes que evitamos encarar porque ao fazê-lo temos que cutucar lá no fundo, temos que deixar doer.


Serão eles os mesmos que enfrento hoje?


Li esses dias que a cada sete anos enfrentamos um novo ciclo de morte e vida: algo morre em nós para que um novo eu passe a florescer. 

 

Sinto-me hoje no meio de um desses ciclos e queria muito saber como isso vai acabar.


A vida tem sido tão imprevisível nos dois últimos anos que espero imensamente que você já saiba lidar melhor com as incertezas.Porque, hoje eu sinto-me um pouco cansada de tudo isso.


Até amo saber que tenho uma folha em branco nas mãos, sinto-me rejuvenescendo. Lembro também do quanto eu era infeliz quando achava que tinha tudo sobre controle.

 

Sei que eu era infeliz quando achava ter tudo sobre controle e até sinto-me mais viva por ter uma folha em branco nas mãos. É rejuvenescedor!

Mas, confesso que em dias, como hoje, sinto-me meio idiota.


Quanta bobeira achar que é possível ter uma vida com propósito! 


Disse para mim outro dia que viver a dor é importante. Que não devo negligenciá-la como eu fazia antes. Porque, colocar aquele sorriso azedo no rosto e dizer para mim que “o mundo não espera que eu cate meus caquinhos” não estava funcionado mais.


Seria isto uma lição ou é sinal de que enfraqueci?
 

Queria muito poder perguntar para você se aqueles gigantes ainda incomodam seu sono, espremem seu peito e deixam você paralisada. 

 

Você ainda recebe muitas visitas da insegurança?
 

Não tem sido fácil lidar com a sensação de bala perfurando, queimando a carne e não saber exatamente de onde veio o tiro. 

 

Suspeito que trago comigo um legado de dor: como se tudo que já enfrentei fizesse o novo pesar de forma desproporcional. E, desejo muito que este peso não chegue até você.
 

Tem sido difícil lidar também com os boicotes que imponho-me mas sei que não posso desistir porque quero demais que você sinta de forma ainda mais viva o brilho nos olhos da garotinha curiosa e corajosa que ainda vive em mim.
 

Hoje resolvi escrever porque, mais uma vez, pensei em desistir e sei que isso vai acontecer com você também.
 

Você possui as mesmas inquietações que eu tenho hoje?
 

Você acha que não saiu do lugar?


Espere até amanhã, espere mais uma semana, mais um mês, um ano.


Espere por uma vida, mas espere.


O escuro, a solidão, a dor e a sensação de fracasso que você está sentindo podem ser apenas fruto da sua ignorância de lagarta.
 

Posso estar errada, mas algo me diz que logo, logo a gente alça voo. 

 

Logo, logo… 

Share on Facebook
Please reload

TEXTOS RELACIONADOS

Please reload